O que é Marketing de Conteúdo

O Marketing de Conteúdo

Após definirmos o marketing digital e as principais vantagens em investir estratégias digitais, nos deparamos com um dos conceitos com maior destaque nos últimos tempos: o Marketing de Conteúdo. Mas afinal, do que se trata?

Podemos definir o marketing de conteúdo como uma estratégia de marketing voltada à produção de conteúdo relevante para o público de interesse de um negócio.

Por meio da produção de conteúdos memoráveis, um negócio pode atrair novos clientes, reter consumidores, gerar receita e criar uma percepção positiva acerca de sua marca.

Os conteúdos podem ser desenvolvidos em diversos formatos para atender públicos em diferentes estágios dentro do processo de compra. Assim, podemos ver posts em blogs com listas e dicas, e-books e artigos mais longos, vídeos, infográficos, e-mail marketing, podcasts, entre muitos outros.

Esse contexto nos leva à máxima do marketing de conteúdo:

O conteúdo é rei

Em uma estratégia voltada diretamente para conteúdo, não poderia ser muito diferente. Mas se ainda não ficou claro, aí vai de novo: o conteúdo é primordial!

Em uma estratégia de marketing de uma marca, é natural considerar inserções dela nos conteúdos criados. Contudo, é preciso ter muito cuidado!

Um usuário chegará ao seu conteúdo movido por motivações próprias, com anseios e interesses particulares. Nem sempre – ou melhor dizendo, na minoria das vezes – ler um conteúdo com diversas menções a uma marca será a resposta direta do que ele está procurando.

Essas inserções devem ser sutis. Mais uma vez: o conteúdo é rei! Para ele ser memorável e relevante, ele deve ser pensado e desenvolvido pensando em atender às necessidades do leitor, não puramente na estratégia de comunicação de seu negócio.

O Marketing de Conteúdo gera resultados a partir do médio prazo. Com a produção sistemática de conteúdos de qualidade, o visitante do seu site ou blog passa a ser educado e pode se tornar um lead de vendas. Um leitor pode ser um cliente potencial na medida em que as necessidades dele são respondidas nas informações que você oferece em suas ações de marketing de conteúdo.

Mas antes de pensar nas vendas, vamos focar um pouco mais na estratégia de produção deste conteúdo.

Para quem estou escrevendo e a importância das personas

OK, você pode criar um blog para sua marca e começar a escrever artigos de qualidade, mas não ver isso criar impacto no seu negócio. Talvez o seu problema é não implementar uma estratégia de buying personas!

Personas são perfis imaginários de clientes pertencente ao público-alvo da sua empresa. O objetivo da sua produção de conteúdo deve estar atrelado ao consumidor comum da sua área de atuação.

Para cumprir o propósito da sua estratégia de marketing de conteúdo, o seu conteúdo tem que ser mais que bom. Ele deve ser útil, capaz de ajudar na identificação de problemas e de apontar possíveis soluções.

As personas são um dos conceitos iniciais do marketing de conteúdo. Não há sentido começar a escrever antes de saber para quem você está escrevendo. Mais do que o perfil social e econômico do público-alvo, é importante saber como o seu cliente potencial se comporta, quais tipos de mídia ele consome, suas necessidades e desejos.

Conhecer o seu cliente será primordial para definir a criação de conteúdo. A partir das personas, você terá indicação dos formatos e linguagens mais assertivos tendo em vista com quem você pretende se comunicar.

Uma atuação no marketing de conteúdo sem estudo de personas é uma estratégia baseada na tentativa e erro: é ineficiente, mais cara e demora para mostrar resultados.

Se você tem dificuldade para criar suas personas, algumas ferramentas online podem ajudar no processo.

O funil de vendas

O marketing de conteúdo é baseado na produção de conteúdo relevante e isso não é necessariamente falar sobre sua empresa. Pelo menos não em todos os momentos. O plano é estar onde o consumidor busca informação, não apenas divulgar seus serviços e produtos.

E para desenvolver esse público potencial em cliente está o processo do funil de vendas do marketing digital.

Funil de Vendas do Marketing de Conteúdo

Com ele, será possível realizar um acompanhamento próximo do acesso ao seu site, promovendo ações que visem o desenvolvimento de visitantes em clientes.

Para este artigo, vamos utilizar o modelo TLC do funil de vendas. Nele, o funil é divido pelo topo, meio e fundo do funil representando as etapas de consumidor. Assim temos o tráfego (T) no topo, seguido pelos leads (L) no meio e, por fim, as conversões (C), no fundo do funil.

Cada parte do funil está diretamente ligada com o seu planejamento de marketing de conteúdo. Afinal, diferentes tipos de conteúdo devem ser produzidos para cada etapa.

O conteúdo no topo do funil

No topo do funil, está todo o tráfego que o seu site conseguiu gerar, desde pesquisas no Google, a posts em redes socais. Nessa etapa, os interesses ainda são vastos. É importante sempre prezar pela qualidade do material produzido, já que se trata da porta de entrada para sua marca, e garantir a geração de tráfego.

A qualidade garante o retorno dos visitantes que podem vir a se tornar leads, os clientes potenciais.

O conteúdo do topo do funil deve ter como foco apresentar um problema para que o público tenha conhecimento da necessidade por soluções.

Para isso desenvolver o funil, é importante que as publicações contem com chamadas para ofertas de outros conteúdos.

Se um texto de blog, tiver um Call to Action para um e-book, por exemplo, o usuário interessado deverá preencher um formulário de contato para receber o material.

É nesse momento que ele avança no funil e se torna um lead.

O conteúdo no meio do funil

No meio do funil, já estamos em contato com um público mais específico, que demonstrou interesse maior no conteúdo produzido.

Nesta etapa, o conteúdo deve ser mais aprofundado, propondo soluções para problemas comuns que as buying personas podem apresentar.

Abastecer os leads com informação qualificada poderá tanto aumentar a confiança em sua marca como desenvolver o processo de venda. Por meio de formulários, você pode pesquisar com mais detalhes sobre necessidades do lead, podendo produzir conteúdos ainda mais assertivos.

Procure segmentar a produção de conteúdo, oferecendo e-books e artigos aprofundados e newsletters personalizadas, como exemplo.

O conteúdo no fundo do funil

No fundo do funil, o conteúdo já é mais diretamente ligado às vendas. Com um público qualificado e segmentado após o consumo das informações desenvolvidas na estratégia de marketing de conteúdo.

É hora de falar sobre o que sua empresa oferece, detalhando os produtos e seus diferencias, cases de sucesso e afins.

Mostre pessoalidade, mas mantendo uma linguagem sóbria. O fundo do funil pode ser o responsável para finalizar todo o processo de venda via conteúdo.

Gerenciamento do Marketing de Conteúdo

Além de analisar o conteúdo produzido e a criação de personas, o gerenciamento das etapas do funil deve analisar quantidade e qualidade de tráfego, taxas de conversão, custos por clique, por leads, entre vários outros fatores.

Por ser um processo sequencial, cada etapa tem importância ímpar. Desenvolver e aumentar a qualidade dos seus leads é imprescindível para otimizar suas conversões.

Segundo a pesquisa iMedia Connection, 60% dos consumidores apresentam uma visão mais positiva sobre uma marca depois de consumir conteúdo da mesma. Os impactos na venda são diretos!

O marketing de conteúdo é uma das principais tendências na área de marketing e publicidade. Esperamos que essas dicas ajudem você a inciar ou avaliar as ações da sua empresa com foco em conteúdo.

Gostou deste post? Gostaria de saber mais? Então fique ligado nós próximos Post do WT Blog.

Inscreva-se e fique informado sobre o que temos a dizer: